WhatsApp pode ser ilegal na Índia por conta de criptografia

A decisão do WhatsApp de criptografar todas as conversas e chamadas para os mais de um bilhão de usuários em todo o mundo, por padrão, no início desta semana, pode ter feito o aplicativo popular de mensagens ser ilegal na Índia.

Você já deve ter reparado na nova informação de criptografia do WhatsApp quando enviou mensagem para algum amigo: “As mensagens que você enviar para esta conversa e chamadas agora são protegidas com criptografia de ponta-a-ponta”. O que isso quer dizer? Mais segurança nas suas conversas (mas isso não faz com que o printscreen pare de funcionar, ok?)

WhatsApp criptografa suas mensagens usando uma chave de 256 bits. No entanto, de acordo com uma regra de 2007, publicada pelo Departamento de Telecomunicações da Índia, as empresas privadas não podem usar a criptografia superior a 40 bits sem a permissão do governo indiano.

WhatsApp-1

“Ninguém pode ver dentro dessas mensagens. Nem cibercriminosos. Nem hackers, nem regimes opressivos. Nem mesmo nós. A criptografia ponta-a-ponta nos ajuda a tornar a comunicação via WhatsApp privada… Como uma espécie de conversa cara-a-cara,” disse os fundadores do WhatsApp, Brian Acton e Jan Koum, em anúncio noblog.

Esta permissão é dada somente se o partido em questão apresentar as chaves de decodificação para o governo. WhatsApp diz que não têm essa capacidade, porque a criptografia foi implementada sem chaves. Além disso, não pode-se verificar quais usuários estão se comunicando com a sua plataforma.

Os usuários da Índia constituem um dos maiores mercados para a empresa, com 100 milhões de usuários ativos mensais, ou quase 10% da sua base de usuários global. É também o aplicativo de mensagens instantâneas mais popular na Índia, com 51% dos usuários de Internet no país usando o aplicativo todos os dias.

No entanto, a sua criptografia pode ter problemas com agências de investigação e de aplicação da lei da Índia para rastrear terroristas.

whats

Em 2010, o governo havia ameaçado proibir o BlackBerry de acessar seu serviço de messenger e e-mail criptografado. Ele pediu ao fabricante de smartphones para estabelecer servidores de dados locais para reduzir problemas de segurança, forçando a empresa canadense a configurá-los em Mumbai em 2012.

Existem inúmeras outras instâncias do governo indiano que restringem o uso de certas plataformas digitais para os seus riscos de segurança. Em 2015, funcionários do governo foram proibidos de usar e-mails privados, tais como Gmail e Yahoo para a correspondência oficial. Em 2014, a Força Aérea da Índia também pediu que sua equipe parasse de usar smartphones chineses, que, segundo ela, foram usados ​​para espionagem.

No entanto, WhatsApp pode usar uma brecha, que especifica que a regra só se aplica aos prestadores de serviços de Internet. A Índia ainda está em processo de elaboração de uma política de criptografia nacional, mas tem sido criticado por violação de privacidade.